História do Município

O povoamento desta região originou-se da descoberta e exploração de um garimpo de cristal, na Serra do Clemente, nome dado ao povoado surgido em 1948. Seus fundadores foram: Alexandrino Cândido Gomes, Salvador José de Oliveira, Tertuliano Coroado Lustosa, Cícero Américo Fernandes e outros.A primeira casa, construída por Salvador Caetano, situou-se nas margens do córrego Matinha, em forma de chácara; o segundo morador da Serra do Clemente foi o desbravador Alexandrino Cândido, proprietário da fazenda Água Bonita transportador de víveres para o garimpo.

Em 1950, havia no local apenas a Escola Serra do Clemente, três casas comerciais e vinte residenciais. Em 1951, instalava-se o posto de arrecadação estadual, devido às transações de gado bovino para o sul do estado. As famílias Tavares e Corado Lustosa contribuíram bastante para o progresso da localidade, que em 1955, passava à condição de distrito, com o nome de “MATINHA”, originou-se do córrego em cujas margens fundou-se a povoação.

Pela lei estadual nº 2.135, de 14 de novembro de 1958, deu-se sua elevação a município, oficialmente instalado em 1º de janeiro de 1959, com o topônimo “ARAGUAÇU”, do tupi região do Araguaia, rio que banha a região. O município de Araguaçu está localizado na mesorregião ocidental do Estado do Tocantins, integrando a 15ª Região Administrativa do estado, na Bacia do Araguaia, extremo sul tocantinense. A Serra do Clemente surgiu como garimpo de cristal. Uma povoação se fazia necessária nas imediações, para funcionar como centro de abastecimento. Assim surgia Araguaçu, cujo primeiro nome foi “Povoado de Serra do Clemente”, iniciado no ano de 1948. São fundadores do povoado: Alexandrino Cândido Gomes, Salvador José de Oliveira, Tertuliano Corado Lustosa, Cícero Américo Fernandes e outros.

A primeira casa construída foi a do senhorSalvador Caetano de Oliveira, às margens do Córrego Matinha, onde se organizou uma chácara. O senhor Alexandrino Cândido Gomes, conhecido como desbravador daquela região organizando fazendas, foi o segundo morador da Serra do Clemente. Já possuía uma fazenda, denominada “Água Bonita”, onde atualmente se encontra instalado um frigorífico, aquém uns 18Km. Com um caminhão de sua propriedade, depois de algumas dificuldades chegou com um carregamento de víveres, destinado à venda no garimpo. Foi instalada uma escola no povoado, denominada “Escola Isolada de Serra do Clemente”. Como centro de abastecimento do garimpo de Serra do Clemente, o povoado pouco progrediu. Ainda em 1950, registravam-se apenas uma escola isolada, três casas comerciais e cerca de 20 casas residenciais. Em 1951, visto o crescimento da agropecuária nas imediações, foi instalado um posto de arrecadação estadual, sob responsabilidade do Senhor Diocleciano Barbosa, nomeado fiscal arrecadador. O mesmo morou ali com sua numerosa família. Duas grandes famílias (Tavares e Corado Lustosa), vindas do nordeste brasileiro, Ceará e Piauí respectivamente, contribuíram tanto para o aumento da população, quanto para a organização do Distrito.

Mais tarde, com a criação do Distrito em 1955, o povoado passou a denominar-se “Matinha”. Em 1958, o distrito foi desmembrado do município de Peixe e neste mesmo ano elevado à categoria de município, por meio da Lei Estadual n.º 2.135, de 14 de novembro de 1958, sendo o topônimo finalmente mudado para “Araguaçu”. O nome atual é de origem indígena, tirado de Araguaia + Açu = Grande, Grande Araguaia. O primeiro prefeito, nomeado pelo governador do Estado, foi o senhor Raimundo Cavalcante, administrando de 1º de Janeiro de 1959 à 31 de Janeiro de 1961. A 03 de Outubro de 1960 foram realizadas as primeiras eleições para a escolha do primeiro prefeito Constitucional, sendo eleito o senhor Tertuliano Corado Lustosa.

HINO DA CIDADE

Letra e Melodia por: Antônia Lyra Rocha




I
Araguaçu!
Como é belo contemplar tua terra,
Cheia de encantos e belezas mil,
Nas noites de serenata,
A lua brilha no céu cor de anil.
II
Em teu seio generoso,
Ha lugar pra todos nós.
Desde o rico fazendeiro,
Aos lavradores verdadeiros Herois.
III
Tuas riquezas são muitas...
Tem ouro, arroz e algodão;
O gado mugindo saudoso,
Nos lindos campos de nosso sertão.
IV
Como é grande a tua fauna,
A flora belos jardins,
És, a terra promissora,
Do estado do Tocantins.

V
Do pobre, és o refúgio,
Do velho, és a lembrança,
Da criança, o futuro,
E do jovem a esperança.
VI
Teu nome vem do murmúrio,
Da cachoeira que desmaia,
Da branca areia e das ondas,
Do grande Rio Araguaia.
VII
Aceita Araguaçu querido,
A gratidão dos habitantes teus,
Pois tu és para nós, (Bis)
Rico presente de Deus. (Bis)